Conteúdo

A importância do torque correto em juntas aparafusadas

Publicação: 24/11/2020

A fixação de componentes através de parafusos é um dos processos mais comuns em diversos projetos, dos mais simples aos mais complexos. Para que a união entre as duas extremidades tenha qualidade e segurança, é preciso aplicar uma força de pré carga no parafuso, fazendo com que os componentes sejam comprimidos. Essa força aplicada é chamada de torque!

O torque pode ser definido como a aplicação de força em um corpo através do movimento de rotação. O profissional que trabalha com fixadores como parafusos, porcas, arruelas, rebites roscados sabe da importância do torque em suas aplicações. A aplicação do torque correto nos parafusos previne falhas, além de aumentar a vida útil e a segurança dos componentes. 

Por exemplo: a aplicação de torque excessivo ao Rebite Roscado Cilîndico pode causar este fixador a girar na chapa aplicada, inutilizando a aplicação. Para eliminar esta possibilidade de giro, a Rudolph Fixações indica ao Cliente o torque máximo permitido no Rebite Roscado ou sugere a utilização do Rebite Roscado Sextavado, que elimina qualquer possibilidade de giro com torque excessivo.

Juntas aparafusadas com pouco torque podem se soltar ou causar vibrações nos componentes montados. Por outro lado, com torque elevado, ou seja, quando muito apertadas, os componentes podem sofrer travamentos, rompimento dos filetes de rosca ou dificultar a remoção. 

A importância do torque também pode ser percebida na montagem e na redução de custos. Componentes que possuem fixadores aplicados com o torque adequado possuem vida útil prolongada, e, consequentemente, tem menos custos de manutenção. 

Confira algumas dicas para garantir o torque correto em seus fixadores.

1. Determine ou solicite ao seu Fornecedor as especificações do torque

Os engenheiros responsáveis precisam considerar a carga máxima, bem como a resistência dos materiais que serão unidos.

O ideal é aplicar testes de tração nos fixadores e nas peças a fim de identificar os pontos máximos de exposição. Outro caminho é, ao adquirir o fixador com o seu Fornecedor, solicitar se o item possui ensaios mecânicos e a especificação de torque máximo.  

2. Escolha as ferramentas adequadas

Existe uma grande variedade de ferramentas disponíveis no mercado para a mensuração e o controle do torque em aplicações de fixação. Escolher ferramentas de qualidade e ter um fornecedor de confiança faz toda a diferença nesse momento. 

3. Tenha uma rotina de calibração e conferência

Estabeleça um período para realizar uma checagem periódica e verificar se todas as ferramentas de torque estão operando de acordo com as predefinições. Componentes podem sofrer alterações de torque devido a vibração ou cargas dinâmicas. 

A Rudolph Fixações, em parceria exclusiva com a Sherex Fastening Solutions, traz ao Brasil a Arruela Autotravante TEC-Series, que garante o torque aplicado mesmo sob condições severas de vibração ou carga dinâmica. Saiba mais sobre as Arruelas Autotravantes TEC Series

4. Faça a manutenção preventiva dos fixadores já aplicados

Verifique a condição dos fixadores empregados em maquinários e ferramentas. A manutenção aumenta a vida útil dos maquinários, evita paradas na linha de produção, diminuição do desempenho, além de reduzir custos. 

5. Tenha proximidade com o seu Fornecedor de fixadores

O fornecedor é o seu maior e melhor ponto de referência quando se trata de informações relacionadas aos fixadores, como revestimentos, materiais, graus de resistência, entre outros detalhes. Na dúvida, converse com seu fornecedor e peça auxílio para selecionar os fixadores ideias para o seu projeto.

Se quiser conversar com a nossa equipe, basta acessar nossa página de contato e preencher o formulário disponível na página. 

 

Tags: fixação

  • Este material foi útil?
    Opinião registrada... obrigado
  • Sim
  • Não
Compartilhe: